arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Fevereiro 2017

Julho 2016

Outubro 2015

Maio 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007


blogueiro

Posts mais comentados

44 comentários
42 comentários
41 comentários
27 comentários
26 comentários
25 comentários
24 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários

posts recentes

As Vezes

Vento Norte

Passagem

Fantasma do Amor

SER

ERRO

Probido

Corpo

Caminhos da Alma

PENSEI

Quarta-feira, 29 de Maio de 2013

Cobre-me com os teus beijos

Cobre-me com os teus beijos

Cobre-me com teu sabor meu amor

Deita-te com o teu corpo no meu

Sente meu coração falando ao teu

De amor coberto folhas de parra verde

Deixa-me beijar esse teu peito por direito

Lentamente tatuar ele com lindas letras

De tinta carente da sua pintura

Te derrama no teu corpo pintado

Do leito sonhando no corpo contra corpo

De gestos lentos e sussurros abafados

Transformados em múrmuros de paixão

Onde se acende uma gloriosa chama

Chamada amor no afagar dos corpos

Entrelaçados e transpirados do seu labutar

Na labuta dos beijos que arde como sol o desejo

De um e outro toque

Em que a pele se enrija toda por direito

Entre lençóis do leito

Respirações ofegantes a todos instantes

De prazeres sexuais entre amor

Imortais e perfumes transformados

Paixões radiantes de todas emoções

De dois corpos satisfeitos da carência

Do amor que se amaram sem pudor

E continuaram no rio

Dos sonhos que tinham programado

Antes de se terem realizado

Aquele sonho tão desejado

Para continuarem por uma vida inteira

E de uma só maneira

Amarem sempre igual a uma carreira,

Porque o amor será igual de qualquer maneira.

Autor -SonhoSolitario

publicado por Sonhosolitario às 11:49
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

visitantes solitarios




.SELO: