arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Fevereiro 2017

Julho 2016

Outubro 2015

Maio 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007


blogueiro

Posts mais comentados

44 comentários
42 comentários
41 comentários
27 comentários
26 comentários
25 comentários
24 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários

posts recentes

As Vezes

Vento Norte

Passagem

Fantasma do Amor

SER

ERRO

Probido

Corpo

Caminhos da Alma

PENSEI

Segunda-feira, 9 de Junho de 2014

Deslisando nas Ondas

Deslisando nas ondas

Entre aguas azuis e céu cinzento,

Percorro as correntes deste meu mar,

Tentando alcançar

O meu destino teimando em voltar,

Dou voltas e revira voltas para me encontrar

 O belo horizonte e voltar amar.

O mar perfeito de ambição

Indica-me o rumo que alegra minha solidão

Envia-me uma sereia desencantada

Que me deia nova paixão

Seja livre e me tire desta penosa solidão

Para brincar comigo -O Mar enrola na areia

E alegre meu coração

Ho mar, amigo mar

Tu que talhas-te em mim o marinheiro

Destas aguas cativeiro

Que tenho navegado por mundo inteiro

Deixa-me ouvir a canção do mar

Quando ao luar meditar, O bem e o mal

Do amor reaccional

Que não tema o meu navegar

Sete rumos sete vidas

Sete gritos da minha voz

Em noites de temporal

Gritando pela bonança

Para ver o meu amor

Nas ondas escuras de solidão

Enlouquecido sobre os cânticos das sereias

Transpirando todos meus suores, lagrimas, e cansaço    

Do meu olhar de ilusões

Tentando o rumo certo de um bom porto atracar

Para minha vida recomeçar

Mar e quantas vezes sonharam com ajuda do teu luar

Marinheiros, historiadores, e grandes guerreiros

Como donzelas, e suas princesas,

Com os cânticos das tuas sereias

Para ajudar a saudade do seu amar

Porque a vida sem amor

Não se pode navegar.

 

Autor Sonhosolitario

 

publicado por Sonhosolitario às 23:17
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

visitantes solitarios




.SELO: