arquivos

Junho 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Fevereiro 2017

Julho 2016

Outubro 2015

Maio 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007


blogueiro

Posts mais comentados

1 comentário
1 comentário

posts recentes

Piano de duas melodias

LUA

Memorias Do Tempo

Mar Salgado

Sábado, 29 de Novembro de 2014

Piano de duas melodias

10157380_1023890624303937_8233243889810634352_n.jp

Piano de duas melodias

No meu piano novo

Tento tocar duas melodias

Uma minha e tua

E outra do tempo

Em melodia relembro o amor

Noutra tento apagar a dor

Na primeira é como te visse

Perto de mim de sorriso feliz

Dançando assim

Sendo minha e eu teu

Tocando nas teclas

Relembro teu amor e sinto

Os tempos de outrora

Que os perdi na demora

Vejo o bem e mal

Nada por igual a tua alma

E ao teu quere dos teus sonhos

Assim continuo tocando para matar saudades

Quando toco está em mim e eu em ti

Ninguém te leva de volta és minha

Mas a melodia acaba sem ter que acabar

Tento continuar a tocar só para relembrar

O amor palavra de dor

Quando não se pode tocar

A melodia daquele dia

De pois de uma tento com outra

Mas não consigo tocar

Meus olhos choram e não consigo chegar

Nas teclas do teu corpo

Não me pertence para que te toque

Minhas mãos ficam trémulas ao ritmo do destino

Saber onde te encontras e não consigo tocar-te

Só na minha melodia consigo amar-te

Perdoar-te de lagrimas nos olhos

Meus e teus tocando como um adeus

Assim vai e enfrente lentamente

Amortecendo a minha dor

Pelo nosso amor

Só me resta viver tocando as melodias

Neste meu novo piano

Assim te tenho sempre do meu lado

Bailando a balsa do nosso amor.

 

Autor – SonhoSolitario

 

publicado por Sonhosolitario às 17:56
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Abril de 2013

LUA

 

Lua

Lua retrato da noite

Encanto do amor e solidões

Que faz renascer emoções

Rainha do silêncio da noite

Aquém choro minhas lagrimas

Com elas matar tua sede

Do teu jejum de amor

Tento subir o monte mais alto

Para te tentar tocar

E beijar tua face

E saborear tuas lagrimas

Ver-te um pequeno momento

Recordar o passado

Nesse momento

No silêncio da noite me encontro contigo

Da minha varanda te envio palavras mudas

Porque a minha voz se perdeu

De tanto exclamar teu nome

Minha voz se calou

Mas não para sempre!

Agora só sinto anatomia da minha vida

Com este silêncio da noite

Só a lua me guia os caminhos

Entre ilhas, oceanos, e fortes correntes

Do amor que me tapam minha visão

Neste meu desejo constante

De te tocar quando no esplendor do teu luar

Ai lua-la lua luar

Envia-me um sinal, com teu luar para amar

Para que não seja o silencio na minhas noites

Mas sim musica em meu coração

Porque te amo lua com todo coração

Assim como o teu luar

Me faz sentir emoção

Linda luaaaaaaaaaaaa…

Autor . SonhoSolitario

publicado por Sonhosolitario às 12:23
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2013

Memorias Do Tempo

Memórias do tempo

Pensei nas memórias

Do tempo e com saudades delas fiquei

Ter-te ao meu lado tomando o pequeno-almoço

Olhar o teu sorriso depois de uma noite de labuta

Esse lindo sorriso era tudo

Era energia nuclear

Tremenda felicidade voar nos ares

Nada mais importava somente nós

Naquele lugar maravilhoso

A beira-mar com um lindo matinar

Saboreando o café juntamente com o teu olhar

Pronta para amar em teu pensamento

Andava tudo a cem por cento

Com amor e alento

Tudo ia com o vento

Fazia-me acreditar

Que era para durar

Te teria sempre em meus braços

E não estar em imaginar com o tempo

Mas deixa-me sonhar mais uma vez

Que vais vir para mim

Por favor deixa-me acreditar

Que tudo vai voltar

A ser o que era

Sonhar e ser sonhador

Ao teu lado

Beijar-te e amar-te como te amei

E como te amo

Por isso jamais te esquecerei

Amor meu amor

Não chores ao leres minhas palavras que também são as tuas

Quando me visitas com os medos

É lindo amar em segredo

Porque ninguém nos toca

Porque ninguém mais sente como a gente

Porque o amor nos faz sentir num lindo ambiente

De ternura e memórias do nosso tempo

Por isso ficas a saber te amo amor …

I Love you forever and ever…

Autor-sonhosolitario

publicado por Sonhosolitario às 18:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2012

Mar Salgado

Mar salgado

Perto de ti nasci e contigo cresci

Desde pequeno que contigo estou

Um homem de mim fez

Nas tuas águas puras e cristalinas

Ensinaste um homem com coração

Amar e repartir amor com devoção

A ti me entreguei nesta minha navegação

Enquanto navego em minha vida medito

Tenho sonhando e chorado sofrido e contemplado

Assim como tenho tomado o sabor do teu fel misturado do teu sal

Quando te zangas com tuas razões

Parecemos dois leões

Que conhecem suas posições das batalhas dos ventos

Tu guerreias por um lado e eu tento vencer por outro

Nesta minha labuta da vida, pela liberdade querida

Que me é muito querida com as honras desta nossa vida

Mas na hora da verdade fazes muita dor

Meu irmão e meu libertador

Tanto tiras, como me das muita dor

Nesta luta selvagem da nossa passagem da vida

Que nos é tão querida

Tu que nos acalmas com tua nevoa e neblina

Como uma ave de rapina

Nos fazes ter mais atenção e até se ouve o bater do coração

Nas procuras dos pontos estratégicos da navegação

Para encontrar o bem dito porto da razão

Ho mas sem ti e nada teria, sem sentir o sofrimento

Nada servia para uma vida de navegador

Tu que fizeste me mim um pai e um grande senhor

Tu que batizaste meu nome Marinheiro

Navegador para navegar o mundo inteiro

Entre padres e doutores, engenheiros e compradores

Tu que nos sustentas, com teus recheios das tuas águas

Há séculos que assim são inumeráveis

Que com as tuas ondas selvagens ceifas vidas

De pessoas que te são tão queridas

E nunca são devolvidas, e lhes dás o interno descanso em teu leito

Esses eternos lutadores, heróis desse teu mundo

Dessas lutas e combates do dia-a-dia de sua labuta

Na partilha do pão que deixavam para traz a sua verdadeira razão

O amor, fome, lar, e todo bem e assim como mal

E a ti se lançavam sem maldade, mas sim com ansiedade

De uma própria batalha da sobreviver da vida de sua família querida

Assim é e assim será minha batalha querida e amiga contigo mar querido

Assim serás a razão do meu navegar, com muito amor para te entregar

Te envio um abraço deste teu amigo e irmão de todo coração

Obrigado amigão sem ti e nada seria em minha vida…

 

Autor-Sonhosolitario

 

publicado por Sonhosolitario às 02:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito (1)

mais sobre mim

visitantes solitarios




.SELO: